Anuncio
Críticas

Ministro da Educação diz que alunos estão sendo coagidos a participar de manifestação desta quinta

Em vídeo divulgado no Twitter, Abraham Weintraub afirmou ter recebido mensagens de pais acusando ameaças a seus filhos por parte de funcionários públicos

31/05/2019 00h05
Por: Edição Paula Andréas
Fonte: O Globo
113

RIO — O ministro da Educação,Abraham Weintraub , afirmou que seu ministério foi procurado por pais de alunos de escolas públicas cujos filhos teriam sido coagidos e ameaçados por professores para que participassem das manifestações marcadas para esta quinta-feira (30), em prol da Educação . 

'Já está com a vida ganha?'

Nos comentários da postagem do ministro, diversos pais se manifestaram, parte o apoiando e apresentando novas denúncias, parte criticando.

O capixaba Jonathan Felipe disse que participaria da manifestação de 30 de maio para lutar "pela Educação dos meus filhos", ao que Weintraub respondeu: "E quem vai trabalhar para sustentar sua família?".

Discussão do ministro Weintraub no Twitter Foto: Reprodução
Discussão do ministro Weintraub no Twitter Foto: Reprodução

Outra usuária, Carla Oliveira, agradeceu ao ministro e apresentou uma denúncia. "O vice-diretor da escola da minha filha acha que um protesto organizado pelo Cpersoficial (Sindicato de Professores do RS) não é partidário, me destratou e humilhou minha fé! tenho tudo gravado em áudio, e mandarei pra ouvidoria! CHEGA desses MILITANTES travestidos de professores!", escreveu.

O ministro Weintraub respondeu afirmando que tal comportamento era "inaceitável" e pedindo desculpas pela "falha em nosso sistema educacional". "Pagadores de impostos são quem sustentam tudo e pagam os salários dos servidores. Caso tenha provas, peço a gentileza de encaminhar à ouvidoria com o nome deste 'professor'", escreveu.

— Esse governo acredita que as manifestações democráticas e pacíficas são um direito de todos os brasileiros. Contra, a favor. O que não pode acontecer é a coação de pessoas que, no ambiente escolar público, criem algum constrangimento aos alunos a participarem dos eventos — disse Weintraub, em vídeo divulgado no Twitter. — Nós estamos aqui recebendo no MEC cartas e mensagens de muitos pais de alunos citando explicitamente que alguns professores, funcionários públicos, estão coagindo os alunos ou falando que eles serão punidos de alguma forma caso eles não participem das manifestações. Isso é ilegal, isso não pode acontecer.

O ministro também pediu que aqueles que tivessem passado por tal situação encaminhassem "a prova" para o endereçosistema.ouvidorias.gov.br , para que o MEC tome "as devidas providências legais".

— O MEC está em um esforço muito grande para que o ambiente escolar não seja prejudicado por uma guerra ideológica que prejudica o aprendizado dos alunos. O objetivo da escola é formar, ensinar e potencializar ao máximo todo o futuro dos nossos jovens e das nossas crianças. Qualquer coisa diferente disso, que prejudique esse grande objetivo, por favor, nos comunique. Nós somos contra qualquer forma de constrangimento, seja de qualquer matiz ideológica.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Dr. Saboia
Blogs e colunas
Portal da beleza acessórios
Últimas notícias
Natalia Financeira
Mais lidas
Ponto do Açaí
Kurica