Segunda, 10 de dezembro de 2018
86 99956-1389

18/02/2017 ás 03h13 - atualizada em 24/02/2017 ás 01h03

997

Edição Paula Andréas

Luzilândia / PI

Sessão tumultuada abre o ano legislativo na Câmara de Luzilândia
A sessão contou com a presença do Prefeito Ronaldo Gomes.
Sessão tumultuada abre o ano legislativo na Câmara de Luzilândia

Com a casa cheia, o poder legislativo iniciou seus trabalhos em uma sessão solene, na noite desta sexta-feira (17/02), que foi presidida pela vereadora Nazinha (PTC), eleita presidente daquela casa, e que contou com a participação do Prefeito Municipal, Ronaldo Gomes (PTC). A sessão foi marcada pela presença de populares que a todo o momento se manifestavam, tumultuando a solenidade.



Ronaldo Gomes esteve presente na solenidade para fazer a abertura dos trabalhos na Câmara de vereadores, ele que na gestão passada assumiu o cargo de presidente daquela casa, hoje ocupada por sua mãe, Nazinha (PTC). Além de fazer um balanço da sua gestão, Ronaldo Gomes teve que responder à indagações dos vereadores de oposição, sobre assuntos polêmicos que marcam o início da  sua gestão, como a acusação de ter falsificado um documento de exoneração e a perseguição aos concursados convocados no ultimo certame.





Ronaldo negou veemente ter participado da suposta ação de falsificação da assinatura da ex-gestora, Ema Flora (PTB), assunto que foi abordado pelo vereador Zé Nilton (PTB). A presidente da casa, mãe do vereador Ronaldo Gomes, foi uma das que saiu em defesa do gestor. Segundo ela, o Ronaldo não tinha necessidade de cometer esse crime, visto que ele seria, em dois dias, prefeito, “ ela precisa ter prova de que o Ronaldo falsificou a assinatura dela, porque ele não tinha nenhuma necessidade de falsificar a assinatura dela já que seria prefeito em dois dias”, disse Nazinha.



Ronaldo reforçou em seu discurso, não ter participado dessa suposta falsificação do documento de exoneração, e segundo ele, até o momento não demitiu e nem contratou ninguém para a sua Administração.  



Outro assunto abordado pelo atual gestor foi o pagamento não efetuado aos concursados do ultimo concurso realizado em Luzilândia. Segundo ele, a ex-prefeita Ema Flora, agiu com arbitrariedade ao chamar concursados sem a necessidade e no prazo de 90 dias antes da eleição, que segundo ele afirma, é proibido por Lei. “Tenho orientação do Tribunal de Contas, eles estiveram aqui e me disseram para aguar a decisão final, algumas pessoas estão dizendo que vão entrar na justiça, se o juiz autorizar automaticamente o prefeito efetua o pagamento, eu não sou contra a pagar, até mesmo porque vocês estão trabalhando”, disse.



Além disso, ele pediu paciência à população para que nesses três meses ele consiga organizar a Administração e possa apresentar melhorias não percebidas ainda em seu Governo.





Mas a sessão não foi marcada apenas por polêmicas e  manifestação popular. Alguns vereadores recém chegados à casa usaram a tribuna para agradecer os votos   conquistados e dizer a que vieram, como os vereadores Cristovâo Rodrigues do PT( Cristovão do Sindicato)  e Gilmara Gil (PTB).



Gilmara Gil começou seu discurso agradecendo e falando de amizade, sobre o que é ter amigos depois das eleições. Ela também defendeu a gestão do Ronaldo Gomes, indagando sobre ser cedo de mais para está tudo organizado e que o atual gestor necessita de tempo, mas também ressaltou que não está ali representando sigla. “Antes eu era uma eleitora ativista,,, mas hoje eu sou uma representante do povo”, disse.



O vereador Cristóvão Rodrigues do PT também agradeceu aos votos recebidos e destacou que sua maior dedicação na Câmara será aos agricultores e agricultoras familiares, classe que ele representa como sindicalista, mas ressaltou que outras áreas também terão sua atenção como: cultura, educação, em especial a educação do campo, a saúde, o esporte, a inclusão social, crianças, juventude, terceira idade, pelo público LGBT’s e pelos servidores públicos. “O município só consegue se fortalecer economicamente, culturalmente e socialmente, quando as pessoas que neles vivem recebem apoio dos seus governantes e para isso estarei atento, esse é o compromisso que queria firmar aqui nesta casa”, disse.





Antes de finalizar a sessão o vereador Betim (PTB) chamou a atenção para a “bagunça” que foi a solenidade. Ele falou do regimento interno que  destaca ordem, respeito e sobre o direito de expressão garantido em constituição. Algumas críticas em redes sociais sobre as manifestações constantes do público presente, também foram feitas por pessoas presentes na sessão, mas a “muvuca” foi justificada por pessoas que apoiam a atual gestão como um ato único, visto a presença do prefeito na sessão solene.


FONTE: Da REdação do Clica Luzilândia/ Edição: Jornalista Paula Andreas

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium