domingo, 24 de junho de 2018
86 99956-1389

30/01/2017 ás 13h42 - atualizada em 14/02/2017 ás 16h00

378

Redação

Luzilândia / PI

Acusado pela atual gestão, ex-Secretário nega ter se beneficiado com dinheiro público
Os descontos impróprios teriam sido descobertos pela auditoria da nova administração, que está analisando toda a folha de pagamento e documentos bancários da prefeitura.
Acusado pela atual gestão, ex-Secretário nega ter se beneficiado com dinheiro público

No ultima quinta-feira (27)  um site local, publicou uma matéria afirmando que Alderico Tavares, ex-secretário de saúde  e candidato derrotado nas ultimas eleições para a Prefeitura de Luzilândia, fez um empréstimo consignado no Banco do Brasil, quando ainda era funcionário da prefeitura como secretário de saúde e médico do município e que, mesmo após afastamento, esse débito continuou sendo pago com dinheiro público. Os descontos impróprios teriam sido descobertos pela auditoria da nova administração, que está analisando toda a folha de pagamento e documentos bancários da prefeitura.



O contrato consignado, que teria sido feito em 2014, gerou parcelas de descontos mensais no valor de R$ 3.558,80, porém o mesmo afastou-se de vez do órgão na data de 30 de junho de 2016, para concorrer ao cargo de prefeito no pleito das eleições passadas, mas o ex-secretário e ex-médico do município, mesmo depois de AFASTADO, continuava a pagar o empréstimo com dinheiro público, sendo que este valor vinha sendo descontado e continuou até dezembro de 2016, como débito junto à prefeitura de Luzilândia.



Os valores das parcelas descontadas após o afastamento até a última data vigente (julho à Dezembro/2016) somam o montante de R$ 21.352,80 ( vinte e um mil trezentos e cinquenta e dois reais e oitenta centavos).  De acordo com a notícia a equipe da auditoria confirmou que o médico e todos os funcionários que se beneficiaram da mesma maneira dos recursos públicos, serão cobrados judicialmente, para devolverem aos cofres do município os recursos oriundos deste tipo de ação criminosa.



O outro lado



Procuramos falar com o ex-secretário, Alderico Tavares, para ouvir sua versão, antes de repercutir as informações, devido a seriedade das acusações e a importância de ouvir todos os lados em matérias jornalísticas. O médico reconheceu o empréstimo consignado, mas segundo ele, em nenhum momento teve intenção de se aproveitar de recursos públicos. Ele afirma que esse empréstimo era descontado do seu salário como médico e não de secretário, visto que como funcionário da Prefeitura ele poderia optar entre os dois salários. Segundo ele, mesmo afastado do cargo de Secretário em janeiro, ele continuou exercendo o cargo de médico do município, de onde era descontado o salário até junho de 2016. De acordo com ele, ainda, a Prefeitura de Luzilândia é quem deveria solicitar que o empréstimo passasse a ser debitado diretamente na sua conta, assim retirando o valor das costas da prefeitura de Luzilândia, ele não soube informar porque isso não foi feito. Alderico disse também que vai procurar sua assessoria jurídica para debater sobre possíveis responsabilidades nas divulgações de dados pessoais de suas contas bancárias.



Com a Prefeitura citada pelo  médico Alderico Tavares, procuramos conversar com a ex-gestora do município, Ema Flora, mas até o fechamento da matéria não obtivemos êxito.



Com informações do Site LuzilândiaeoNorte


FONTE: Edição Paula Andreas/Jornalista DRT: 1579 - PI

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium