domingo, 24 de março de 2019
86 99956-1389
Brasil

05/03/2019 ás 22h26

39

Edição Paula Andréas

Luzilândia / PI

Cachorrinha que foi arrastada por moto em Ananindeua é adotada e ganha novo lar
Caso de maus-tratos foi registrado em vídeo e chocou internautas. Vendedora se sensibilizou e adotou a cachorrinha, que tem apenas 4 meses de idade.
Cachorrinha que foi arrastada por moto em Ananindeua é adotada e ganha novo lar

O caso da cachorrinha que sofreu maus-tratos ao ser arrastada por uma moto ganhou um final feliz nesta terça-feira (5). O animal, que recebeu o nome de Amora, foi adotado e vai ter um lar assim que receber alta médica dos veterinários.










 










 






00:13/00:13




 











Vídeo mostra cachorro sendo arrastado por moto




O vídeo que registrou as cenas de violência ganhou repercussão nas redes sociais e gerou revolta. O caso ocorreu no bairro Icuí, em Ananindeua, na Grande Belém. Nas imagens, o animal aparece com uma corda amarrada no pescoço, sendo arrastado por um menino que está na garupa da moto, pilotada por um homem. Primeiro o animal tenta correr, mas não aguenta e cai no chão, onde é arrastado por alguns metros até a corda arrebentar. Os agressores ainda olham para trás, mas seguem e abandonam o cão ferido.





Cadelinha é uma fêmea e ganhou o nome Amora. — Foto: Divulgação/ Abrigo AuFamilyCadelinha é uma fêmea e ganhou o nome Amora. — Foto: Divulgação/ Abrigo AuFamily

Cadelinha é uma fêmea e ganhou o nome Amora. — Foto: Divulgação/ Abrigo AuFamily





De acordo com o AuFamily, que resgatou a cadela de cerca de 4 meses de idade, ela perdeu todas as unhas, sofreu escoriações e foi levada a um hospital veterinário pelos voluntários. A ONG informou que vai registrar um boletim de ocorrências na quarta-feira (6) para tentar identificar os agressores.




A história comoveu a vendedora Roberta Maia. Apaixonada por animais e dona de dois pets, ela conta que contatou a ONG assim que soube do caso e pediu a adoção de Amora.




“Me sensibilizei muito com a história dela e lembrei da época em que eu tinha muitos animais em casa. Se eu pudesse abrigar mais animais, eu o faria. Só que moro em apartamento e sei que é difícil recebê-los”, conta Roberta, que já adotou, na mesma ONG, a gatinha Viviane, hoje com 7 anos.





Roberta com a cachorra Miss Bela. Ao lado, a gatinha Viviane. — Foto: Arquivo Pessoal/Roberta MachadoRoberta com a cachorra Miss Bela. Ao lado, a gatinha Viviane. — Foto: Arquivo Pessoal/Roberta Machado

Roberta com a cachorra Miss Bela. Ao lado, a gatinha Viviane. — Foto: Arquivo Pessoal/Roberta Machado





“Também tenho Miss Bela, de 5 anos, cachorrinha que foi devolvida ao pet pelo dono, e que tive a oportunidade de ganhar de presente depois”, revela.




Roberta diz que, quando criança, chegou a ter 12 cachorros em casa e que sonhava ser veterinária. “Eram todos vira-latas. Infelizmente a vida não me deu a oportunidade de ser veterinária. Sei que existem muitos outros animais na mesma situação, que sofrem maus-tratos. Queria poder ajudar mais, mas faço o que posso”.





Segundo a ONG AuFamily, Amora está estável e deve receber alta dentro de alguns dias.


 


Fonte: G1




O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium