Sexta, 26 de abril de 2019
86 99956-1389
Piauí

13/02/2019 ás 10h12 - atualizada em 13/02/2019 ás 10h16

120

Edição Paula Andréas

Luzilândia / PI

Rede que atua no semiárido do Piauí avalia ações e planeja estratégias para 2019
O Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido é composta por 20 instituições que atuam na região semiárida do Piauí.
Rede que atua no semiárido do Piauí avalia ações e planeja estratégias para 2019

Aconteceu nos dias 07 e 08 de fevereiro na sede da Obra Kolping, em Teresina, o Encontro Estadual de Avaliação e Planejamento do Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido – FPCSA, com a participação de 12 da 20 organizações integrantes do coletivo. A programação do evento contou também com uma palestra de análise da conjuntura política atual no País, que foi ministrada pelo Sociólogo e membro da Cáritas Regional do Piauí Carlos Humberto Campos. A metodologia do encontro contemplou quatro momentos de fortalecimento dos trabalhos do Fórum, sendo: Os momentos de análise, avaliação, debate e ação.


Uma outra prática de fortalecimento do Fórum em encontros dessa natureza é a composição de participantes durante o evento, onde contempla o/a agricultor/a, o técnico/a, a representação legal das organizações, além da equipe de comunicação. Segundo a coordenação do FPCSA esta metodologia promove um rico debate de ideias e consequentemente enriquece a execução do planejamento.


Ainda no dia 07, na parte da tarde a programação reservou um espaço para os/as agricultores/as, Antônia Maria do município de Pedro II, Airton José do município de Massapé e a agricultora Adriele Dantas de Pimenteiras para que eles apresentassem suas análises e aprendizagens adquiridos durante os intercâmbios realizados na América Central, (Guatemala e El Salvador) e África, (Senegal). Os três agricultores /as do Piauí participaram dos intercâmbios promovidos pela FAO através da Articulação do Semiárido Brasileiro – ASA Brasil realizado no segundo semestre de 2018. Para Antônia Maria estes espaços motivam as agricultoras a partilharem novas realidades e aprendizagens.


“Eu tive a oportunidade de conhecer grandes experiências lá, (Guatemala), e que hoje estou executando na minha comunidade. Espero poder transmitir essas informações em outros espaços como este que me deram aqui, espero também pode incentivar minha comunidade, por isso achei muito bom partilhar o que vi”, disse a agricultora.


No campo da avaliação, os participantes analisaram como grandes os desafios encontrados durante o ano, como o período eleitoral, a redução na execução dos projetos de convivência com o Semiárido, entre outros. Porém, relataram também que passos importantes foram dados, como a participação ativa do FPCSA  na Romaria da Terra e da Água, que aconteceu em junho de 2018, em Paulistana, a realização dos encontros microrregionais de Sementes da Fartura, a realização das reuniões mensais do Fórum, a oficina de comunicação em Pedro II, além de outros eventos considerados estratégicos.


Para o ano de 2019, o FPCSA entendeu que as quatro linhas de prioridades, (Gestão e Organização do Fórum, Comunicação Popular como Direito, Desenvolvimento Sustentável e Luta por Terra e Água nos Territórios), permanecerão como bandeiras de luta do Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido.


 Confira algumas das metas planejadas por linha de prioridade para ao no de 2019:


Gestão e Organização do Fórum -  Inserção e permanecia nos espaços de articulação política, seminários de gestão nos territórios, políticas de convivência para juventude e ainda dar continuidade a parceria com a Fundação Osvaldo Cruz.


Comunicação Popular como Direito – Produção de spots educativos, oficina para juventude com o tema Redes Sociais, boletim eletrônico mensal.


Desenvolvimento Sustentável, agora com uma pequena alteração que passou a se denominar Agroecologia, sementes e ações comunitárias - Fortalecer a Rede de Sementes da Fartura do Piauí, Encontro territorial de sementes da fartura em todos os territórios de atuações das organização que compõe o Fórum.


Luta por Terra e Água nos Territórios foram planejados eventos de mobilizações na luta pelos povos dos cerrados, debates sobre direito a água e os efeitos das mudanças climáticas no semiárido.


Segundo João Evangelista coordenador do FPCSA o evento promoveu um rico debate. “Foi um encontro proveitoso porque vimos o quanto o ano de 2018 foi difícil devido o período eleitoral, limitando nosso plano de ação. Mas foi também foi um ano de gestão muito positivo porque conseguimos formatar dentro da dinâmica de associar novas entidades do Piauí dentro da Articulação do Semiárido Brasileiro – ASA Brasil”. Disse o Coordenador.


O Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido, também conhecido como ASA Piauí, é formado por 20 organizações com atuação em todo o Estado do Piauí no campo das ações de convivência com o Semiárido.


 


Neto Santos comunicador popular do Mandacaru e Hana Raquel comunicadora  do FPCSA 

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium