Sexta, 19 de outubro de 2018
86 99956-1389
Luzilândia

25/09/2018 ás 18h02 - atualizada em 28/09/2018 ás 12h41

1.137

Edição Paula Andréas

Luzilândia / PI

Alguns com salários atrasados, professores vão para às ruas e ameaçam greve
A Administração municipal pagou alguns servidores da zona rural e outros não, prevendo já um atraso nos próximos salários, professores ameaçam greve!
Alguns com salários atrasados, professores vão para às ruas e ameaçam greve

Atualizada nesta sexta (28 de setembro)


Vários  servidores da rede municipal de ensino foram para às ruas hoje, em manifestação contra o atraso dos salários dos profissionais da educação, que atuam na zona rural e que estão há quase dois meses sem receber. Após dois ofícios enviados pela Diretoria do SISMEL, a Administração municipal prometeu pagar esta semana os salários atrasados desses profissionais, mas, no entanto, apenas alguns receberam, outros ainda estão à espera do seus proventos. 


Os  servidores sairam do Patamar da Igreja de São Francisco até a Praça João José Filho em carreata, chamando a atenção da população para o problema. Com cartazes nas mãos, eles denunciaram a situação em que se encontram os professores efetivos que atuam na zona rural, que estão com salários atrasados.  


  


Após a manifestação, os professores se dirigiram à sede do Sismel, onde  discutiram a possibilidade de greve e assinaram a ata. Um ofício também foi enviado à Administração Municipal comunicando que, se caso os salários de todos os servidores da educação, Zonas urbana e rural, não sejam pagos até o dia 08 de outubro, os profissionais entrarão em estado de greve dia 09.


  


Luzilândia: Sem salários, professores da zona rural protestam e gestão municipal oferece silêncio

Os professores também não têm, por parte da Administração, nenhuma resposta, mesmo essa tendo recebido dois ofícios, por parte do Sindicato dos professores

ESTÃO PENSANDO QUE O POVO DA ZONA RURAL NÃO COME” as palavras escritas em negritos e em caixa alta no grupo de discussão do Clica Luzilândia, na rede social WhatsApp, manifesta toda a indignação de uma professora da zona rural, que há quase dois meses não recebe seu provento. Com salários atrasados, os professores também não têm, por parte da Administração, nenhuma resposta, mesmo essa tendo recebido dois ofícios, por parte do Sindicato dos Servidores Municipais da Educação de Luzilândia (SISMEL), solicitando uma explicação para o atraso.


 No próximo dia trinta fazem dois meses que a professora Rafaela Aguiar recebeu pela ultima vez seu salário. Com o esposo doente, e por isso sem trabalhar, e com duas filhas para criar, o protesto da professora mostra toda a indignação de quem trabalha todos os dias e não tem como honrar suas dívidas. “Eu estudei para ser efetivada, passei num concurso para não passar por isso, mas o que parece é que não adiantou nada... temos nossos compromissos, tenho que sustentar minhas filhas, pagar colégio, tenho que comprar leite, minha filha só tem um ano e quatro meses, mas sem receber não dá,” desabafa Rafaela.


 Assim como a professora, outros servidores, que também estão sem receber, usam as redes sociais para protestar e chamar a atenção da Administração Municipal para o problema. Além disso, balancetes com o montante que caem nas contas da prefeitura, que podem ser consultados na Internet, são compartilhados nas redes sociais com a pergunta: “Para onde está indo todo esse dinheiro?”.  Em resposta, a Administração Municipal “Construir e Servir” oferece silêncio.



O professor Nonato Nunes, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais da Educação de Luzilândia - SISMEL, afirma ter enviado dois ofícios à Prefeitura, nos dias 18 e 22 de setembro, solicitando junto à Administração explicação para o atraso, mas até hoje à classe não obteve resposta. Cansados de esperar, os professores estão organizando um protesto para a próxima sexta-feira (28), com concentração na Igreja de São Francisco, a partir das 17h30, como forma de pressionar e exigir uma resposta por parte da Administração.


 A redação do Clica Luzilândia tentou uma resposta com a Administração Municipal para a falta de pagamento dos professores da zona rural do Município, pelo período de dois dias esperamos uma resposta oficial que explicasse quando prefeitura pagaria os salários atrasado, mas até o fechamento dessa matéria não obteve uma resposta.



 


Paula Andreas/ Jornalista do Clica Luzilândia

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium