Sexta, 19 de outubro de 2018
86 99956-1389
Entretenimento

16/09/2018 ás 18h58 - atualizada em 16/09/2018 ás 20h58

31

Edição Paula Andréas

Luzilândia / PI

Pesquisa mostra que plantas sentem e emitem sinais quando atacadas
Se os motivos para adotar o Veganismo ou o Vegetarianismo é o sofrimento animal, os adeptos destes dois hábitos podem começar a repensar seus conceitos.
Pesquisa mostra que plantas sentem e emitem sinais quando atacadas

A filosofia Vegana parte do princípio que o homem não pode e nem deve explorar os animais. Assim comer, vestir-se ou calçar-se, para os veganos, é uma atividade que deve isentar totalmente os animais, em função do sofrimento pelo qual estes passam ao serem explorados com estas finalidades. Os vegetarianos limitam o uso de produtos animais apenas na alimentação, adotando a ética de não fazer uso de produtos de origem animal para alimentação, mas também por questões de saúde.


Se os motivos para adotar o Veganismo ou o Vegetarianismo é o sofrimento animal, os adeptos destes dois hábitos podem começar a repensar seus conceitos. Pesquisa publicada no último dia 13 de setembro na revista Science revela o pânico das plantas quando atacadas, fazendo com que emitam sinais para outras partes da própria planta.


As plantas podem não ter cérebros, mas elas têm um sistema nervoso. Biólogos descobriram que quando uma folha é comida, ela avisa outras folhas usando alguns dos mesmos sinais que os animais.


As células nervosas dos animais conversam entre si com o auxílio de um aminoácido chamado glutamato, que, depois de liberado por uma célula nervosa excitada, ajuda a acender uma onda de íons de cálcio nas células adjacentes. A onda percorre a próxima célula nervosa, que envia um sinal para a próxima linha, permitindo a comunicação a longa distância.


Cientistas estavam investigando outra coisa quando eles tropeçaram em sua descoberta: como as plantas reagem à gravidade. Eles desenvolveram um sensor molecular que poderia detectar aumentos de cálcio, que eles achavam que poderiam desempenhar um papel. Eles criaram o sensor, que brilha com o aumento dos níveis de cálcio, em uma planta de mostarda do gênero Arabidopsis. Eles então cortaram uma das folhas para ver se conseguiam detectar alguma atividade de cálcio. Quando uma folha é comida, ela avisa outras folhas usando alguns dos mesmos sinais que os animais.


Eles imediatamente viram um brilho que ficou mais claro, depois mais escuro, bem ao lado da ferida; então o brilho apareceu e desapareceu mais longe até que a onda de cálcio atingiu as outras folhas (acima). Mais estudos apontaram o glutamato como o gatilho da onda de cálcio.


Embora os botânicos já saibam que as mudanças em uma parte de uma planta são percebidas pelas outras, elas não tinham ideia de como essa informação era transmitida. Agora que viram a onda de cálcio e o papel do glutamato, os pesquisadores podem monitorar melhor. Assista o vídeo (áudio em inglês) e veja como ocorre o processo



Os veganos e vegetarianos terão que repensar seus hábitos, pois as plantas também sofrem com ataques de predadores, dentre eles o homem.


 


Fonte: CiênciaViva/CidadeVerde

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Clica Viva Bem

Clica Viva Bem

Blog/coluna O novo canal de saúde, bem-estar e beleza do Clica Luzilândia.
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium