Segunda, 19 de novembro de 2018
86 99956-1389
Brasil

29/08/2018 ás 22h05 - atualizada em 29/08/2018 ás 23h31

259

Edição Paula Andréas

Luzilândia / PI

Onde está o projeto das câmeras de segurança: Após ter estabelecimento invadido por três vezes proprietário desabafa
Após um ano da Audiência Pública que discutiu a segurança Pública, projeto de sistema de monitoramento com câmaras de segurança está engavetado.
Onde está o projeto das câmeras de segurança: Após ter estabelecimento invadido por três vezes proprietário desabafa
Estabelecimento invadido por três vezes/ Foto:Facebook

O desabafo de um cidadão em uma rede social, após ter seu escritório de contabilidade em Luzilândia invadido pela terceira vez, ocasionou muitos comentários de comoção e indignação. A ação aconteceu na madrugada do ultimo domingo (26), quando os criminosos arrombaram a grade de proteção da janela do estabelecimento, que fica localizado na Rua 28 de julho, no centro da cidade, e subtraíram um notebook do local. Enquanto a insegurança reina com a ação dos criminosos, que em casos como esse ficam impunes, projetos como a implantação do sistema de monitoramento, que foi defendido e prometido pelas autoridades locais, e que poderiam auxiliar a polícia na coação desses crimes, continua no papel.


O delegado de Luzilândia, Fábio Bhering, afirma que a polícia tem se esforçado para prender e inibir a ação de bandidos na cidade, mas crimes de roubos como o ocorrido com o escritório de contabilidade são mais complicados de solucionar. Para ele, o sistema de monitoramento eletrônico na cidade seria uma ferramenta de suma importância, tanto na prevenção de crimes, quanto numa posterior investigação. “É um projeto muito bem sucedido nas cidades que instalaram, mas já faz mais de um ano que enviamos esse projeto aos órgãos competentes, mas nada foi feito”, lamenta.


 Ronaldo Gomes e Janainna Marques se unem a secretário e autoridades para discutir Segurança em LuzilândiaEm junho de 2017, com o alto índice de criminalidade e violência na região de Luzilândia, uma audiência pública reuniu autoridades locais e estaduais pra discutir o tema. Presentes no evento estiveram os vereadores municipais, prefeito municipal, secretários, representação do Poder judiciário local e Polícia Civil e Militar, presentes também a deputada e Secretaria de Infraestrutura do Estado na época, Janainna Marques, o então Secretário de Segurança do Estado, Capitão Fábio Abreu, representantes de entidades sociais, comerciantes e a população em geral, todos se juntaram para debater possíveis soluções para o problema de insegurança em Luzilândia e região.


Uma das propostas que saiu do encontro foi a implantação do sistema de monitoramento com câmaras de segurança em pontos estratégicos da cidade. A solicitação foi feita pelo prefeito Ronaldo Gomes ao secretário da Segurança Pública. Como encaminhamento ficou a criação de um projeto discriminando detalhes para a implantação do sistema de monitoramento para a destinação de uma emenda parlamentar no valor de R$ 100 mil reais prometida pela Deputada Janainna Marques, que seria complementado com recurso da Prefeitura e o compromisso de instalar o sistema de segura na cidade.


Na sessão da Câmara do dia 17 de agosto o tema sobre a segurança veio à tona quando a vereadora Morgana Marques (PSB) cobrou da Deputada Janainna a emenda prometida. Em defesa da deputada, o vereador Betim (PTB) questionou o projeto necessário para a destinação da mesma, e a vereadora Gilmara Gil (PTB) garantiu que o projeto foi elaborado e apresentado pela mesma na Câmara de Vereadores.


 Leia também :


Ronaldo Gomes e Janainna Marques se unem a secretário e autoridades para discutir Segurança em Luzilândia


Veja como foi a sessão da Câmara de vereadores na ultima sexta-feira (17)


 


 


Fotos do Projeto


 No entanto questionada pela reportagem do Clica Luzilândia, a Deputada Janainna Marques (PTB) afirma “nunca” ter recebido o Projeto, e dessa forma  não dá para destinar a emenda prometida. Também questionada sobre o envio do Projeto para a destinação dos R$ 100 mil, a vereadora Gilmara confirmou que o mesmo não foi enviado à deputada. Segundo ela, essa obrigação caberia à bancada aliada da deputada na Câmara de vereadores. “Cadê os vereadores, eu entreguei uma xerox para cada um. Eu no lugar deles teria o maior interesse em levar. Eu fiz o projeto de execução, o interesse deve ser de todos...município e Estado “, disse a vereadora Gilmara.


 


 Procurado pela reportagem, o vereador Cristóvão Rodrigues (PT), vereador que propôs a Audiência Pública, estava em campo e não foi encontrado para comentar o caso.


 Como estamos em período eleitoral e a deputada Janainna Marques tenta a reeleição, a possível emenda que seria destinada a partir do projeto terá que esperar mais um tempo, engavetada. Enquanto isso, cidadãos de bem, como o contabilista que citamos no início dessa matéria, ficam a mercê da insegurança, e a Polícia sem os equipamentos que ajudariam  na efetivação de seu trabalho.


 Por Paula Andréas/ Jornalista do Clica Luzilândia

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

1 comentários

Aristótelis

  ·  Rio de Janeiro Reportagem pontual e insiciva com as nuâncias precisas a quem deva reportar. A necessidade de se acabar com o mal em seu início gera confiança e possibilidades de um bem comum. A sociedade tem o direito/dever de se manifestar, ocupando seu lugar na Tribuna de Discursões. E se isso nao for corrigido de imediato, a cidade corre o risco de acabar como as grandes metropoles, que hoje sofrem com tamanha insegurança. Brilhante iniciativa de alertar. Em 30/08/2018 ás 09h36
Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium