Sábado, 21 de julho de 2018
86 99956-1389
Luzilândia

20/06/2018 ás 18h16 - atualizada em 20/06/2018 ás 18h24

310

Redação

Luzilândia / PI

Pressionada por sites locais, gestão busca documento que comprova adimplência com Agespisa
Em um texto de ataques aos sites locais e vereadores, a gestão mostra um documento assinado na data de hoje (20) que prova adimplência junto ao órgão.
Pressionada por sites locais, gestão busca documento que comprova adimplência com Agespisa
Prefeito Ronaldo Gomes com superintendente de negócios da Agespisa, Dr. Paulo Roberto e o diretor Cirilo Foto: Assessoria PML

 Após matéria publicada pelo site Clica Luzilândia e amplamente discutida e divulgada por outros sites locais, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Luzilândia publicou em seu site oficial matéria que apresenta um documento de adimplência da Prefeitura com a AGESPISA, assinada na data de hoje (20) de junho. Na matéria, ainda, a assessoria tece ataques aos meios de comunicação local e aos vereadores, afirmando que os sites “(sic) basearem-se em falácias de vereadores proferidas em tribuna no plenário da Câmara Municipal de Luzilândia, pronunciamentos estes também vagos da verdade, da moral e do conhecimento do próprio ofício”.


Provocado, o site Clica Luzilândia, que sempre prezou pela prática do bom jornalismo, que tem a ética e a busca da verdade como princípio, resolveu publicar (mesmo não tendo sido solicitado pela gestão municipal) a resposta da ASSESSORIA à matéria aqui publicada. No entanto, antes, como dito no princípio desse parágrafo, provocados, necessitamos tecer alguns comentários.


        ·      O Site Clica Luzilândia escreveu a matéria com as informações colhidas junto aos vereadores municipais, oposição, mas também situação, que em suas falas (equivocadas ou não) afirmaram que o processo de negociação ainda estava em aberto. Esses são fontes primárias.


 ·         Toda polêmica sobre essa negociação se deu a partir da matéria publicada no site Oficial da Prefeitura, que também na época não mostrou documentos e detalhes da negociação, nem o fato do antigo terminal rodoviário ser usado como forma de quitar a dívida foi exposto na matéria, que se preocupou apenas em exaltar a atual gestão em detrimento as antigas.


         ·      Segundo os vereadores, os mesmos ficaram sabendo sobre a negociação e quitação da dívida pela matéria do Site Oficial, que poucas informações trazia sobre o tramite. Oficialmente, como foi previsto, após assinarem documento dando aval ao Prefeito Municipal para fazer negociação do antigo terminal rodoviário, eles não foram informados.


 ·         A Declaração de adimplência foi assinada na data de hoje (20), acreditamos e respeitamos as palavras escritas e assinadas, e faladas em vídeo, do Superintende de negócios da Agespisa, Dr. Paulo Roberto, mas, no entanto, ficamos sem entender as colocações da vereadora, Morgana Marques (PSB), líder do governo na Câmara, em seu pronunciamento, citado anteriormente; e nem do advogado da Prefeitura que afirmou, que ainda estariam negociando com a Agespisa, para que as dívidas quitadas até o mês de dezembro de 2017, fossem quitadas até abril de 2018, por isso que demorou pra documentação ser finalizada.


 ·         Todas as fontes consultadas eram oficiais, inclusive o site Oficial da Prefeitura de Luzilândia, que não apresentou documentos anteriormente e nem informações suficientes, que poderia ter, antes, evitado todo o mal entendido sobre o caso.


 O Site Clica Luzilândia, deixa claro, ainda, que não se responsabiliza pelas edições em suas matérias publicadas em outros veículos de comunicação, que não agem com respeito à ética jornalística. O Site Clica Luzilândia não ataca, busca a verdade, e a mostra, mesmo a contra gosto de alguns, a exemplo das várias vezes que, provocada, a gestão "Construir e Servir" veio a publico se explicar. Ao contrário do que mostra a Nota da Assessoria de Comunicação, que ataca todos os veículos de comunicação local, sem respeito, sem tato e a ética que se  espera de uma Assessoria Oficial, o Site Clica Luzilândia respeita, dialoga e busca, sempre que possível, contribuir para o bem social, o bem comum, independente de Gestão.


Segue a baixo a matéria da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Luzilândia:



Governo de Luzilândia prova adimplência junto à Agespisa





Em 07 de maio de 2018, como publicado no site oficial do Governo Municipal de Luzilândia “Construir e Servir’, em encontro com o superintendente de negócios da Agespisa, Dr. Paulo Roberto e o diretor Cirilo, o prefeito Ronaldo Gomes e a ex-chefe de gabinete, agora vereadora Morgana Marques reuniram-se para tratar do encontro de contas e fazer a quitação total do débito com a Agespisa, este, teve como objeto para o adquirente, no caso a Agespisa, o antigo terminal rodoviário denominado Camilo Leão, localizado à rua Antônio Pires. Imóvel encontrado em desuso no município, visto que um novo terminal rodoviário está em funcionamento.


Durante todo o dia ontem (19/06), através de veículos de comunicação, a matéria sobre este assunto publicada no site do Governo na época com o título, “Prefeito Ronaldo Gomes quita dívida milionária da prefeitura de Luzilândia com a Agespisa”, foi atacada em uma tentativa de desqualifica-la e desmenti-la, assim como o Departamento de Comunicação da prefeitura Municipal, e o próprio Governo e seu gestor.


As postagens publicadas por estes veículos inspiram a má fé, uma vez que os mesmos não apontaram nenhum documento sobre o processo, além de basearem-se em falácias de vereadores proferidas em tribuna no plenário da Câmara Municipal de Luzilândia, pronunciamentos estes também vagos da verdade, da moral e do conhecimento do próprio ofício, sendo que os mesmos ao questionarem a quitação do débito junto ao órgão, não apontaram também documentação nenhuma comprovando que o processo não aconteceu como disseram, e que não é legal. Pior ainda, “esqueceram-se”, os mesmos que votaram a favor do processo, projeto de lei Nº 12 de 19 de Dezembro de 2017, EMENTA: Autorização ao chefe do poder executivo para nos termos do art. 17, Incisos e respectivas alíneas da lei 08-666/93 (lei de licitações) alienar o bem que relaciona ( Terminal Rodoviário Camilo Leão)


Documento:


Projeto este, discutido e aprovado pelos mesmos vereadores em sessão ordinária da Câmara, autorizando e dando aval ao executivo para a realização da negociação, que muito beneficia o povo de Luzilândia.


A lei aprovada pela Câmara também encontra-se publicada no diário oficial dos municípios na data de 05 de janeiro de 2018.



“Estranhamente”, vereadores foram a tribuna questionarem o porquê de que documentações não voltaram aquela casa para serem apreciadas e discutidas pelos mesmos. De acordo com os tramites legais, a única coisa que deveria voltar àquela casa seria a legenda de patrimônio, ou seja, as descrições dos resultados da negociação do débito, uma vez que os vereadores através da aprovação da lei já citada, concederam seu aval para a negociação. O aval  foi dado, finalizado e constatado, o que não quer dizer que o processo e seus resultados, ainda não irão àquela casa em documentos, comprovando a seriedade e a transparência da gestão.


Já na manhã de hoje (20/06), o Superintende de negócios da Agespisa, Dr. Paulo Roberto, em vídeo declara a veracidade da negociação e da quitação do débito junto ao órgão Agespisa, e emite a declaração de adimplência. Consultado, sobre a ida de vereadores à Agespisa, o mesmo declarou ser verdade, “estiveram aqui, mas nenhuma informação sobre valores e o processo, foram dadas, pois os protocolos do órgão não permitem o acesso a esse tipo de informações, até por que, os vereadores através de um projeto de lei aprovaram toda a negociação, contudo peço desculpas ao município pela demora da emissão da declaração, fato que deu-se devido a um problema técnico interno, agora depois de entregue o documento, assumo a responsabilidade pelo atraso na entrega, sem prejuízo ao acordo feito, e me ponho a disposição do município, inclusive até de ir à Câmara dos vereadores de Luzilândia ou recebe-los para maiores esclarecimentos, uma vez que a declaração de adimplência foi entregue ao executivo.”



Fato: A dívida conforme declaração de adimplência anexada à matéria, foi quitada até dezembro de 2017, como informou na época o Site Oficial da Prefeitura de Luzilândia, sendo que a única dívida existente de acordo com o extrato de débito, é referente ao ano de  2018.



O que se percebe, é um jogo leviano, que atropela direitos, desrespeita fontes seguras, num associado de mídia que vulnerabiliza a arte jornalística em conjunto com os desgostos políticos de quem precisa aprender a exercer seu ofício.


Nenhum profissionalismo fala mais alto do que a verdade, e se esta se faz aqui ora estampada, talvez este Departamento seja mais verdadeiro e até profissional de que aqueles que se conduzem por meras falácias.


O Governo “Construir e Servir”, marcha com o gosto de cada vez fazer melhor seu trabalho independente das críticas e dos ataques grosseiros que sofre.


 


CLIQUE AQUI PARA TER ACESSO A LEI APROVADA PELA CÂMARA MUNICIPAL QUE EMBASOU AS NEGOCIAÇÕES COM A AGESPISA


Assessoria de Comunicação


O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium