Sexta, 22 de junho de 2018
86 99956-1389
Brasil

12/06/2018 ás 10h22

25

Redação

Luzilândia / PI

Brasil é 2º maior mercado de empresa que fatura com relacionamento online
Match Group aposta em sites e apps de relacionamento de nicho, como os para evangélicos e para pais e mães solteiros; mas o que mais cresce é o voltado aos maiores de 50 anos.
Brasil é 2º maior mercado de empresa que fatura com relacionamento online
Foto: Divulgação/MatchGroup

Enquanto o Natal é a maior data para o comércio, o Dia dos Namorados é a data que mais leva pessoas a procurar sites e aplicativos de relacionamentos. Comemorada no Brasil nesta terça-feira (12), a ocasião não é só aguardada pelos pombinhos, mas é ansiosamente esperada pela Match Group, empresa apelidada de “Império do Amor” por faturar US$ 1,1 bilhão por ano unindo casais em seus quase 50 serviços de pegação. O motivo? Os brasileiros são o segundo maior público no mundo da empresa.


E se Tinder e Par Perfeito já são sucesso, a aposta da empresa passou a ser nos sites de nicho, como os voltados para pessoas acima de 50 anos, pais solteiros e evangélicos.


Solteiros à procura


Um terço dos relacionamentos começa online, aponta uma pesquisa realizada pela empresa. Na hora de encontrar o par ideal, sites e apps superaram parentes, amigos e até a balada.


A eficiência das plataformas pode ser observada de outra forma: o mais antigo site da empresa, o ParPerfeito, ganha 5 milhões de novos usuários por ano; por outro lado, 2 mil pessoas deixam a plataforma todos os meses, argumentando que encontraram alguém.


Mesmo que o Brasil seja o segundo país em que a Match Group mais tenha usuários, a companhia considera que o país é um dos focos de seu crescimento. Isso porque a empresa estima que entre 50% e 60% dos solteiros do país estejam em suas plataformas. “Tem potencial até para dobrar”, diz Moraes.



Marcos Moraes, presidente para América Latina do Match Group, que possui quase 50 plataformas de relacionamento, como Tinder e ParPerfeito.  (Foto: Divulgação/MatchGroup)


Além do mais, quando o assunto é dinheiro gasto em sites e apps de relacionamento, o Brasil está longe do topo. A Match Group ganha dinheiro sobretudo com assinaturas aos seus serviços, como no caso do ParPerfeito, ou com a venda de ferramentas para turbinar o xaveco, caso do Tinder.


"No Brasil, a internet e qualquer coisa online é vista com gratuita. E as pessoas têm resistência em pagar. Mas isso está mudando”, diz Moraes, citando que adesões a serviços de streaming de música e de vídeo ajudam a disseminar a cultura de pagar por produtos online.


“A minha opção a um site de relacionamento é ir a uma balada, o que vai gastar com carro, com bebida e onde a pessoa vai gastar muito mais para talvez conhecer alguém legal”, comenta Moraes.


Para evangélicos


Se o carro-chefe da empresa ainda são Tinder e ParPerfeito, dois aplicativos que podem ser usados por qualquer, a empresa vem apostando em redes sociais voltadas a grupos específicos.


“Temos produtos gerais, mas há pessoas que valorizam certas características. O Divino Amor é para evangélicos, que são um grupo que dá muito valor à religião. Lá, você vai entrar em um produto em que os usuários já têm esse filtro. Depois vai ver se gosta de cachorro ou de viajar.”


Também há sites e apps voltado a homossexuais, como o Femme, para mulheres, e o G Encontros, para homens. Há também o serviço para pais solteiros mas já que tenham filhos, o SingleParentMeet.


Fonte: G1

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium