Quinta, 16 de agosto de 2018
86 99956-1389
Política

18/05/2018 ás 22h25

93

Redação

Luzilândia / PI

Dirceu se apresenta, faz exames no IML e segue para a prisão
Em outro processo da Operação Lava Jato, José Dirceu ficou preso no Paraná entre agosto de 2015 e maio de 2017.
Dirceu se apresenta, faz exames no IML e segue para a prisão
Imprimir Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Fontes da Polícia Federal informaram ao blog que o ex-ministro José Dirceu deixou no início da tarde desta sexta-feira (18) o apartamento onde mora em Brasília e seguiu para o Instituto Médico-Legal (IML), a fim de se submeter a exame de corpo de delito.


Pelo roteiro estabelecido, após a passagem pelo IML, ele permanecerá na Penitenciária da Papuda, em Brasília, até ser transferido para Curitiba, o que não deverá acontecer nesta sexta.


Pela manhã, Dirceu recebeu no apartamento pelo menos uma visita – a do deputado distrital Chico Vigilante (PT-DF). Na saída, o deputado disse que o ex-ministro estava "tranquilo".


Nesta quinta-feira (17), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) negou o último recurso dos advogados de Dirceu e determinou a prisão. Ele ainda pode recorrer a instâncias superiores.


O prazo para ele se entregar terminaria nesta sexta, às 17h. Dirceu cumprirá pena pela condenação a 30 anos e 9 meses de prisão. Os crimes atribuídos ao ex-ministro são corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro.


No processo analisado pelo TRF-4, foram investigadas irregularidades na Diretoria de Serviços da Petrobras. Segundo a denúncia da força-tarefa da Operação Lava Jato, Dirceu recebeu dinheiro de empresas que assinaram contratos com a estatal.


Segundo as investigações, a empresa Engevix, investigada por envolvimento em fraudes na Petrobras, simulou contratos com a JD Consultoria, empresa de Dirceu, repassando ao ex-ministro mais de R$ 1 milhão por serviços que não teriam sido prestados.


Em outro processo da Operação Lava Jato, José Dirceu ficou preso no Paraná entre agosto de 2015 e maio de 2017. À época, ele conseguiu no Supremo Tribunal Federal (STF) um habeas corpus para responder ao processo em liberdade, mas com monitoramento por tornozeleira eletrônica.


A pena de Dirceu é a segunda maior da Lava Jato até o momento – Renato Duque (ex-diretor de Serviços da Petrobras) foi condenado a 43 anos de prisão.


Fonte: G1

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium