domingo, 27 de maio de 2018
86 99956-1389
Piauí

15/05/2018 ás 23h32 - atualizada em 16/05/2018 ás 21h50

129

Redação

Luzilândia / PI

Ex-namorado de Aretha se entrega na sede da Delegacia de Homicídios
Mulher sofreu brutal violência e foi atropelada antes de morrer, confirma IML
Ex-namorado de Aretha se entrega na sede da Delegacia de Homicídios

Atualizada às 18h


O ex-namorado da cabeleireira Aretha Dantas Claro se entregou no início da noite desta quarta-feira (16) na sede da Delegacia de Homicídios. Paulo Alves dos Santos Neto, que é motorista de Uber, é suspeito de ter assassinado a cabeleireira. A Polícia Civil realizou buscas na residência dele e encontrou marcas de sangue e uma carta. A delegada Luana Alves, do Núcleo de Feminicídio, acompanha o caso. 


Policiais civis e militares fizeram uma busca, na tarde desta quarta-fera (16), na residência do ex-namorado da cabeleireira Aretha Dantas Claro, encontrada morta na avenida Maranhão na manhã de ontem. Ele mora no Parque Poti, na zona Sudeste de Teresina. A delegada Luana Alves, do Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), comandou as buscas na casa. Ela confirmou que o rapaz, identificado como Paulo Alves dos Santos Neto, é o autor do crime.


Durante a ação, a polícia teve que conter um cachorro da raça Pitbull para poder entrar na casa. Uma carta teria sido encontrada no interior da residência. Nela, um pedido para cuidar do animal. No local estava também um veículo vermelho e muito sangue. 


Uma vizinha que não quis se identificar disse que eram frequentes os pedidos de socorro da vítima quando ela morou na casa do namorado. "Ela pedia muito socorro. Teve uma vez que meu cunhado passou e viu ela gritando. Fomos lá e chamamos a polícia. Neste dia ela estava com a cara toda vermelha. Eles brigavam muito. A rotina era de muita taca", relatou.


Segundo a delegada, há sangue em vários cômodos da casa e nas placas do veículo. “Tem muito sangue, principalmente na sala, mas nos outros cômodos da casa também tem. Fora da casa também tem. O carro tem sangue tanto na placa dianteira como traseira. O carro está sendo periciado e tem sangue dentro também. Ele é o autor do crime. O carro é dele”, afirmou.



Paulo Neto é apontado pela polícia como autor da morte de Aretha Dantas. Foto: Reprodução/Redes Sociais


A polícia investiga agora o trajeto do veículo em Teresina para tentar descobrir mais elementos sobre o crime. Uma faca foi encontrada no interior do carro. “Vamos verificar todo o trajeto do carro, mas pelos vestígios, ele foi usado na ação criminosa. Tem uma faca dentro do carro que foi apreendida e será periciada”, disse.


Ainda de acordo com a delegada, Aretha morou na residência até dezembro, mas só terminou o relacionamento em março e já estava namorando novamente. “A vítima tinha contato com ele, pois no celular tinha fotos que ele já tirou após o término do relacionamento. A gente chega aqui, a casa está completamente suja de sangue, o carro também, tudo leva a crê que ele é o autor. Está tudo esclarecido”, destaca.


Para Luana, provavelmente o crime foi premeditado. “Provavelmente sim. O feminicídio normalmente é um crime premedito. O autor tem uma motivação extremamente violenta. Ele não estava conformado com o fim do relacionamento. E além do fim do relacionamento ela estava se envolvendo com outra pessoa. Ele já deixava claro que não queria aquela mulher viva se não fosse com ele”, ressalta.


Seis equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estão à procura do suspeito.


Na manhã desta quarta-feira, a delegada disse que nenhuma possibilidade está descartada, mesmo com familiares suspeitando que o caso seja de crime passional. 


O velório da vítima aconteceu com muita comoção de familiares e amigos de Aretha, quanto a polícia garante que segue com as investigações para elucidar o crime o quanto antes. 


O corpo da cabelereira Aretha Dantas foi encontrado na manhã da última terça-feira (15) na Avenida Maranhão com perfurações e sinais de atropelamento. A vítima foi achada sem documentos que pudessem identificá-la e posteriormente a família, que sentiu falta da mesma, fez a identificação através das tatuagens no corpo. Aretha saiu de casa na noite de segunda-feira (14) sozinha para fazer um lanche em uma lanchonete próximo da sua residência no Bairro Saci e não voltou mais. Ela morava com a avó e foi velada na casa do pai, Aldir Claro, no Bairro Bela Vista, tasmbém na zona Sul. 


Flash Herlon Moraes/Cidade Verde


Atualizada às 08h30


Delegado diz que criminoso deixou assinatura visível na morte de mulher na Av Maranhão 


O coordenador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o delegado Francisco Baretta, afirmou, nesta quarta-feira (16), que o criminoso deixou “marcas bem visíveis” no assassinato da cabelereira Aretha Dantas Claro, de 33 anos, encontrada morta na manhã de ontem (15) na Avenida Maranhão, no trecho do bairro Tabuleta, zona Sul de Teresina. 


Delegado diz que criminoso deixou assinatura visível na morte de mulher na Av Maranhão


A morte de Aretha chocou a população devido à brutalidade da ação. Ela foi esfaqueada com pelo menos 20 perfurações e chegou a ser atropelada por um veículo, pois tinha marcas de frenagem no seu corpo.  


“Um assassino, um criminoso, ele planeja o crime. Nós temos que verificar todo esse planejamento. A Polícia Civil dará uma resposta no menor tempo possível. Todo crime de homicídio doloso contra a vida tem uma motivação seja ela a menor possível. E esse crime não foi diferente. Pela forma como ela foi morta tem a assinatura do criminoso, além do modus operanti. E a assinatura dele está bem visível e é nela que nós estamos autenticando para chegar até ele”, declarou o delegado em entrevista ao Notícia da Manhã. 


O delegado ressaltou que as investigações estão ocorrendo de maneira acelerada para dar uma resposta o mais rápido possível. O inquérito policial é presidido pela delegada Luana Alves, do Núcleo de Feminicídio da DHPP.


“As informações estão sendo materializada dentro do inquérito, e eu acredito que nas próximas horas, nos próximos dias, a delegada vai estar com esse indivíduo (suspeito de cometer o crime) seja identificado. Infelizmente, não posso dar detalhes maiores para não prejudicar as investigações, que já estão avançadas”. 


Mulher  é encontrada morta na avenida Maranhão com sinais de atropelamento e perfurações 


O delegado Francisco Baretta, coordenador da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), informou na tarde desta terça-feira (15), que a mulher encontrada morta na avenida Maranhão com sinais de atropelamento e perfurações de arma branca era Areta Dantas Claro, de 32 anos. A vítima residia no bairro Bela Vista , zona Sul de Teresina, e era cabeleireira.


O IML - em avaliação preliminar - apontou que a vítima foi atropelada, estava com sinais de muita violência e sofreu vários golpes de arma branca (faca). Segundo a direção do IML em dez dias sairá o laudo oficial.


Bareta afirmou que a polícia ainda está investigando os últimos passos da mulher e que está trabalhando com crime de homicídio. Segundo o delegado, nenhum suspeito foi identificado até o momento. “Já identificamos os elementos essenciais, que são muito importantes para a investigação e agora estamos investigando como foram os últimos passos dela”, disse ao Cidadeverde.com.


O delegado disse também que enviou o caso para a delegada Luana Alves, coordenadora do Núcleo de Feminicídio da Polícia Civil do Piauí. “A polícia trabalha com suspeita de homicídio, mas todos os crimes violentos cometidos contra a mulher têm que ser enviados ao Núcleo de Feminicídio”, informou o coordenador.


Segundo uma tia da vítima, ela saiu de casa ontem à noite para fazer um lanche próximo a sua casa. "Ela saiu dizendo que ia fazer um lanche no Diuturno. Desse lanche ela não voltou mais", afirmou.


A família soube da morte quando o caso foi noticiado pela imprensa. "A gente viu na TV, mas não sabia que era ela. Depois foi que sentiram falta dela e foram procurar. Pelas tatuagens que ela tem foi que um irmão viu e achou que era ela", disse.


A tia de Areta acredita de crime passional. "Ela viveu com um cara de 3 a 4 meses e ele não aceitava a separação. Ela saiu da casa dele no final de fevereiro e não aceitava a separação", disse à TV Cidade Verde.


Aretha completou 31 anos no dia 5 de maio. Era cabeleireira, mas estava desempregada.


O corpo de Areta Claro foi encontrado hoje (15) por volta das 4h, na Avenida Maranhão, na faixa sentido Centro-Sul, chegando na Ponte Nova, no bairro Tabuleta (a cerca de 200m da ponte). As informações iniciais são de que ela teria sido arrastada por uns 10 metros até um campo de futebol.


A Perícia Criminal informou que a vítima foi morta com umas 20 perfurações, tinha marcas de frenagem no corpo e que parte do couro cabeludo foi arrancado por causa do atropelamento. O Instituto de Medicina Legal (IML) fez o recolhimento do corpo por volta das 7h30. 



Foto: Carliene Carpaso/ Cidadeverde.com


Lyza Freitas/CidadeVerde

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium