Terça, 16 de outubro de 2018
86 99956-1389
Política

10/04/2018 ás 17h54 - atualizada em 10/04/2018 ás 20h54

143

Edição Paula Andréas

Luzilândia / PI

Impedidos de ver Lula, governadores criticam justiça e divulgam carta
Em sua decisão, a juíza disse que não havia fundamento na flexibilização dos horários de visita.
Impedidos de ver Lula, governadores criticam justiça e divulgam carta

O governador Wellington Dias participou da comitiva de governadores que tentou visitar na tarde desta terça-feira (10) o ex-presidente Lula, preso desde sábado na sede da  Polícia Federal em Curitiba, no Paraná. O encontro não aconteceu por conta de uma decisão da juíza Carolina Moura Lebbos, que negou pedido do senador Roberto Requião de flexibilizar os horários. Para o governador do Piauí, Lula se tornou um preso político.


"Ele é um preso político. Não há provas contra ele. Estamos aqui em defesa da democracia. Queremos dizer ao Brasil da necessidade de lutarmos todos para que a Constituição seja cumprida", disse o governador.


Segundo Wellington Dias, "forças poderosas” estão agindo contra o petista, condenado a 12 anos de prisão no caso do Triplex. "Lula livre nesse instante significa a defesa da democracia. É muito fácil ser amigo quando ele é presidente. É nessas horas, que forças poderosas trabalham contra um dos maiores líderes do mundo, é que temos que ficar juntos", destacou.


O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, também saiu em defesa de Lula e lamentou a visita não ter sido feita. "Nós estamos aqui para deixar cada vez mais claro para o Brasil a situação que este país está passando. Existe um processo grave para a desmoralização da política em si. Parece surreal que o melhor presidente que este país já teve, o Lula, possa estar hoje pagando uma pena dentro de um  processo que cabe recurso e, ao mesmo, não tem nenhuma prova concreta. Existe uma pessoa detida, que é um político, e ele não consegue receber a visita de nove governadores e 3 senadores", declarou.


Além de Wellington Dias e Ricardo Coutinho, tentaram visita Lula os governadores Tião Viana (Acre), Renan Filho (Alagoas), Rui Costa (Bahia), Camilo Santana (Ceará), Flávio Dino (Maranhão), Fernando Pimentel (Minas Gerais), Paulo Câmara (Pernambuco), Robinson Faria (Rio Grande do Norte), Belivaldo Chagas (Sergipe) e os senadores Lindbergh Farias e Gleisi Hoffmann. 


Com a negativa da  visita, todos os governadores e senadores assinaram uma carta informando ao ex-presidente Lula que estiveram na PF. "Estivemos aqui e sempre estaremos. Ao seu lado, firmes e fortes. Infelizmente a lei de execução penal não foi cumprida adequadamente e não poderemos abraçá-lo pessoalmente", diz trecho da carta. (Veja ao final da matéria toda a carta)


Em sua decisão, a juíza disse que não havia fundamento na flexibilização dos horários de visita. "Com efeito, não há fundamento para a flexibilização do regime geral de visitas próprio à carceragem da Polícia Federal. Desse modo, deverá ser observado o regramento geral. Portanto, incabível a visitação das pessoas indicadas na petição de evento 4. Indefiro o requerimento", afirmou a juíza, que é da 12ª Vara Federal de Curitiba.


Os governadores assinaram uma carta, que foi encaminhada à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmen Lúcia, onde pedem um audiência para tratar das  pautas federativas e das garantias constitucionais. "Tudo aquilo que representar garantia constitucional", disse Wellington Dias.


Carta dos governadores ao ex-presidente Lula



Fonte: Hérlon Moraes/CidadeVerde

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium