Quinta, 26 de abril de 2018
86 99956-1389
Política

05/04/2018 ás 19h50 - atualizada em 05/04/2018 ás 23h50

34

Redação

Luzilândia / PI

Juiz Sérgio Moro leva 22 minutos para escrever e liberar ordem de prisão de Lula
Aliados de Lula criticam rapidez do pedido de prisão de Lula.
Juiz Sérgio Moro leva 22 minutos para escrever e liberar ordem de prisão de Lula
O ex-preesidente Luiz Inácio Lula da Silva - PAULO WHITAKER / REUTERS 5/5/1975

O juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, levou 22 minutos para produzir e liberar o despacho que determinou nesta quinta-feira (5) a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.




Moro foi oficiado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) às 17h31, quando Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) o autorizou a ordenar a execução da pena, como consta do sistema de acompanhamento processual da Justiça Federal do Paraná.


 




Às 17h53, o magistrado já havia escrito o despacho de quatro páginas e liberou o documento no mesmo sistema, que é público.




Moro começou a escrever assim que foi autorizado pelo TRF-4, segundo sua assessoria.





“Relativamente ao […] ex-presidente Lula, concedo-lhe, em atenção à dignidade cargo que ocupou, a oportunidade de apresentar-se voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba até as 17:00 do dia 06/04/2018”, escreveu Moro na decisão.


 


Imediatamente após a publicação da notícia da decretação da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aliados dos petistas conclamaram nas redes sociais os apoiadores a reagirem e reclamaram da rapidez da decisão do juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara de Curitiba. Enquanto isso, adversários comemoraram e disseram que a Constituição foi cumprida.



 


Presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse que a ordem de prisão "reedita os tempos da ditadura".


O líder do PCdoB na Câmara, deputado Orlando Silva (SP), disse que a decisão foi um "atropelo completo". Para ele, a decisão surpreendeu a todos, e significa uma "sanha" para prender o ex-presidente.


— Surpreendente a decisão do TRF-4 e do juiz Moro. Ontem mesmo o país inteiro assistia ao julgamento do Supremo Tribunal Federal e no mesmo dia em que o julgamento é concluído o TRF toma essa decisão? É um atropelo completo. É uma sanha para prender o presidente Lula. É o fim da picada, uma sanha que não há limite disse Silva.


O líder da Minoria no Senado, Humberto Costa (PT-PE) disse que a determinação é um "declarado abuso nessa caçada política".


Mais indignada, a senadora Vanessa Grazziotin (PcdoB-AM) conclamou os aliados de Lula a reagirem e ironizou, dizendo que Lula só será preso porque não é do PSDB.



O deputado Paulo Pimenta (PT-RS), em vídeo publicado nas redes sociais, declarou que "não aceita" a decisão do juiz Sérgio Moro e que participará de uma "grande vigília" em São Bernardo do Campo (SP):



— Isso é algo extremamente grave, inaceitável, nós não esgotamos todos os recursos no TRF-4 e isso significa uma enorme violência institucional, uma violência contra o maior líder popular da História deste país — disse Paulo Pimenta.


O líder do PSB na Câmara, deputado Júlio Delgado (MG), disse que a decisão foi estranhamente célere, e que contribui para acirrar o clima beligerante que se viu ao longo de quarta-feira durante o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) do habeas corpus do ex-presidente.


— Botaram os pés pelas mãos. Ontem o Brasil estava tomado por um clima de disputa beligerante em torno da prisão. Ainda restavam recursos a serem analisados, ninguém esperava que essa prisão fosse ser decretada ainda hoje. Todos imaginavam que o TRF 4 e Moro esperariam a poeira baixar. Não esperaram nem o prazo de publicação da decisão do STF. Houve uma celeridade fora do comum. Quiseram executar a pena rapidamente, e isso só agudiza o sentimento de beligerância — afirmou.


ADVERSÁRIOS DO PETISTA COMEMORAM


Em um vídeo postado no Twitter, o senador Álvaro Dias (Podemos-PR), pré-candidato do Podemos a presidência, disse que a impunidade perdeu.


— É lastimável ver um ex-presidente ser conduzido à prisão, mas é um avanço. A impunidade perdeu, o Estado de direito prevaleceu. As leis estão governando os homens nesse momento e estamos caminhando para a inauguração de uma nova Justiça . É assim que se constrói uma grande nação — disse Álvaro Dias.


Também em vídeo, o líder do PPS, deputado Alex Manente (SP), disse que hoje é um dia histórico porque passa a mensagem de que a Justiça chega para todos.


— Um dia histórico para o Brasil. Finalmente está sendo preso o ex-presidente Lula, chefe de uma das maiores organizações criminosas com o dinheiro público. Não tenho dúvida de que isso deixa todos nós com a sensação de justiça, de que ela chega para todos, de que não se pode cometer crimes em qualquer escala de poder. Mas também nos deixa envergonhados perante o mundo ver um ex-presidente preso. É assim que temos que construir o Brasil, com esse exemplo de que quem comete corrupção tem a sua punição. Isso é um novo país — disse.


O líder do DEM, senador Ronaldo Caiado (GO), ressaltou o fato de Moro ter dado a Lula um tratamento diferenciado.


“Tudo pronto para a prisão do condenado por corrupção. Moro dá a Lula a oportunidade de se apresentar voluntariamente até amanhã, 17 horas na Polícia Federal de Curitiba. Moro determina prisão de Lula para cumprir pena no caso do triplex em Guarujá”. escreveu, também no Twitter


Depois, em nota, Caiado disse que o Brasil mudou e vive um novo momento e quem não se conscientizar disso estará fora da política e preso respondendo pelos seus crimes.


“A prisão de Lula mostra a força e a conscientização do povo brasileiro em não aceitar quem usa o cargo público para corromper e ser corrompido. É uma quebra de paradigma, pois ninguém imaginava que um dia um ex-presidente corrupto iria para a cadeia. Os “intocáveis” vieram para a ala dos comuns e receberão tratamento igualitário da justiça, que reergueu a autoestima do brasileiro e reacendeu a esperança de um país mais justo. Nosso povo passou a acreditar que o Brasil tem solução. E tudo isso graças a pessoas do quilate do juiz Sérgio Moro, que começou essa transformação exercendo seu trabalho de forma isenta e eficaz. Sempre com garra, determinação, respeitando as leis e a Constituição”, diz a nota”


A Senadora Ana Amélia (PP-RS), escreveu apenas que “ninguém está acima da lei”. No mesmo tom de Ana Amélia, o Ataídes Oliveira (PSDB-TO) comentou que a prisão de Lula é constitucional. “É o que diz a Constituição: todos são iguais perante a lei”.


Vice-presidente nacional do PSDB, o deputado Carlos Sampaio afirmou, em vídeo postado no Facebook, que a notícia era "uma alegria":


— Para mim, que faço oposição a ele e ao PT desde que fui eleito deputado federal, em 2002, significa o fim de uma era para o chefe de um dos maiores esquemas de corrupção que esse país já teve. Parabéns ao juiz Sérgio Moro!!


Fonte: G1 e OGlobo






O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium