Segunda, 10 de dezembro de 2018
86 99956-1389
Entretenimento

06/03/2018 ás 10h29

435

Edição Paula Andréas

Luzilândia / PI

Jornalista briga com Whindersson sobre Síria: “Usa tragédia para ganhar seguidores”
Whindersson questiona se a TV brasileira midiatiza o link que o mesmo compartilhou, mostrando uma criança, supostamente síria, bastante ferida e cheia de ataduras.
Jornalista briga com Whindersson sobre Síria: “Usa tragédia para ganhar seguidores”

“E o teu casamento falou sobre a Síria?”, questionou o jornalista Vinícius Sacramento, por meio do Twitter, ao youtuber Whindersson Nunes. Ambos, na última segunda-feira (05/06) travaram uma discussão na rede social após o piauiense criticar a festa do Oscar 2018 por não abordar as consequências da guerra civil da Síria, que estourou em 2011 e, atualmente, conta com imagens de milhares de crianças mortas naquele país.



 



Palavras de baixo calão passaram a construir o diálogo de ânimos alterados entre os dois “tuiteiros” (Foto: Montagem OitoMeia)



“Ninguém no Oscar falou sobre a Síria?”, iniciou Whindersson, em um post realizado na madrugada de segunda. O seguidor retrucou e questionou se o casamento do piauiense com a cantora Luísa Sonza, ocorrido no dia 28 de fevereiro deste ano, no litoral alagoano, retratou a realidade das crianças sírias. O embate não parou por aí e o humorista rebateu.



“Por acaso o meu casamento foi transmitido para mais de 30 milhões de pessoas?”, retrucou Whindersson. E palavras de baixo calão passaram a construir o diálogo de ânimos alterados entre os dois “tuiteiros”. “A merda do teu canal tem milhões de inscritos. Quantos vídeos você faz sobre a Síria? A guerra, lá, tem mais de sete anos (passa na TV diariamente. Você não sabia?). Por que a madame só se importa agora?”, continua Vinícius.





Jornalista questiona o motivo de Whindersson não fazer vídeos para ajudar a Síria (Montagem OitoMeia)



Do outro lado, Whindersson questiona se a TV brasileira midiatiza o link que o mesmo compartilhou, mostrando uma criança, supostamente síria, bastante ferida e cheia de ataduras. “Bosta é você, que usa tragédia e crianças mortas para ganhar seguidores e RT [retwitters]. Doa um vídeo que seja para falar da Síria sem monetizar ou então vai lá, à Síria, ajudar. Tem coragem babação?”, desafia. O piauiense, todavia, finaliza a discussão.



“Vou te mandar mais fotos e você me diz se é mais importante ficar discutindo e tentando ‘lacrar’ na resposta ou divulgar o link que mostra ajudar as pessoas na Síria?”, conclui, após uma maratona de perguntas retóricas entre os personagens da discussão.





“Vou te mandar mais fotos e você me diz se é mais importante ficar discutindo e tentando ‘lacrar’ na resposta”, diz Whindersson (Reprodução Twitter)



FALSAS IMAGENS DE CRIANÇAS NA SÍRIA



Desde 2011, milhares de pessoas já morrem devido à guerra civil na Síria, no Oriente Médio. Recentemente, mais de várias imagens de crianças em situações desoladoras e de extrema violência ganharam a Internet como se fossem de pequenos sírios. Uma reportagem do site “O Globo” checou a veracidade das fotografias e constatou que muitas delas não têm nenhuma relação com o país em questão. Veja alguns exemplos:



ÓRFÃ DE OLHOS AZUIS



“Encontrada sozinha no meio da guerra, menina síria órfã sorri sem saber o que está acontecendo”. Esta informação é falsa! Os olhos azuis e o sorriso de uma garotinha viralizaram nas redes sociais como se demonstrassem a pureza e a tranquilidade de uma criança órfã em meio ao caótico cenário de guerra na Síria. A atriz Giovanna Antonelli foi uma das internautas que compartilhou a história no Instagram, numa postagem que ultrapassou 81 mil curtidas.





Garota se chama Sidra não é orfã e continua sob os cuidados dos pais em uma área mais segura do país, na cidade de Homs (Foto: Reprodução O Globo)



A verdade é que a garota se chama Sidra, não é orfã e continua sob os cuidados dos pais em uma área mais segura do país, na cidade de Homs. O próprio autor da foto desmentiu o boato numa nova publicação feita nesta segunda-feira, após a versão falsa da história ter se espalhado pela internet. Na semana passada, para comprovar que Sidra está bem e acompanhada da família, Sabouni publicou fotos da menina com um adulto, ao lado de outra criança, e respondeu aos internautas que expressaram o desejo de adotá-la.



MENINO DORMINDO NO TÚMULO DOS PAIS



“Menino sírio deitado entre o túmulo de seus pais”. Mais uma Fake News sobre o assunto. Compartilhada mais de 170 mil vezes no Facebook nos últimos três dias, a suposta foto de um menino Sírio dormindo entre os túmulos de seus pais tocou muitos internautas. A intenção do fotógrafo Abdul Aziz Al-Otaibi era provocar a reflexão sobre a ausência dos pais para as crianças que vivem em meio à guerra, quando produziu o ensaio fotográfico na Arábia Saudita, em dezembro de 2013.



Al-Otaibi queria mostrar como o amor pueril pelos pais era insubstituível, mas não planejou qualquer relação entre a foto e a guerra na Síria. Mesmo assim, internautas passaram a compartilhar a imagem como se ela retratasse o abandono de um órfão em meio ao conflito no país.





Menino na foto é seu sobrinho e os túmulos não são verdadeiros, mas sim elaborados somente para as fotos (Foto: Reprodução O Globo)



Em entrevista a Harald Doornbos, o autor da foto declarou ter ficado chocado com a maneira como a imagem repercutiu. Segundo Al-Otaibi, o menino na foto é seu sobrinho e os túmulos não são verdadeiros, mas sim elaborados somente para as fotos, tiradas nos arredores de Iambo, importante cidade portuária da Arábia Saudita. Para ter certeza que as pessoas não iam continuar tirando conclusões erradas sobre seu trabalho, o fotógrafo compartilhou imagens do making-of do ensaio com o menino sorrindo e fazendo um aceno para a câmera.



PAI E FILHA FOGEM DA GUERRA



“Pai corre com a filha no colo para tentar protegê-la da guerra na Síria”. O contexto em que a foto foi feita também era de confronto, mas a imagem não é um registro da guerra na Síria. O clique da família que tenta se proteger em meio ao caos foi feito em 4 de março de 2017, no Oeste de Mosul, no Iraque, pelo fotógrafo Goran Tomasevic, da agência “Reuters”.



A foto foi tirada durante uma ofensiva do exército iraquiano, que teve início em outubro de 2016 e durou nove meses. A ação tinha o objetivo de reconquistar parte do território da cidade que era controlada pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI), mas os bombardeios também afetaram duramente a vida de civis.





Foto foi tirada durante uma ofensiva do exército iraquiano, que teve início em outubro de 2016 e durou nove meses (Foto: Reprodução O Globo)



Segundo Tomasevic, em reportagem publicada pela Reuters, “a família e seus vizinhos – alguns usando sandálias de borracha e outros descalços – estavam correndo de um contra -ataque do EI nessa região de Mosul, tentando escapar de tiros após a aproximação dos militares”.



NEM TUDO QUE PARECE…



É comovente e indignante a situação vivida por milhões de sírios, porém quem se choca pode ajudar bem mais se parar de compartilhar notícias, fotos e vídeos falsos sobre o assunto. Mais que a banalização midiática, os refugiados da Síria ou até mesmo de outras regiões em conflitos precisam de humanidade, abrigo, alimentação e cuidados médicos. Procurar órgãos internacionais, como a Organização das Nações Unidas e Cruz Vermelha, é a melhor forma de saber como ajudá-los.



Fonte: Oitoemeia


O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium