Segunda, 12 de novembro de 2018
86 99956-1389
Piauí

12/02/2018 ás 13h54 - atualizada em 01/04/2018 ás 20h08

290

Edição Paula Andréas

Luzilândia / PI

Cadela participa do velório de dona em Teresina e causa comoção
Belinha tem quatro anos de idade e também acompanhou a maior parte do tratamento de sua dona que durou seis anos. 
Cadela participa do velório de dona em Teresina e causa comoção

Um amor além da vida. A frase pode resumir a história de Belinha com sua dona, Telma Maria Pereira de Andrade, 53 anos, que faleceu vítima de um câncer, na semana passada, em Teresina. 


Uma foto tirada durante velório representa muito bem o afeto entre as duas que parece permanecer mesmo após a morte. Belinha tem quatro anos de idade e também acompanhou a maior parte do tratamento de sua dona que durou seis anos. 


"A doença atacou o pâncreas, pulmão e outros órgãos até atingir a coluna e chegar nos últimos oito meses em um grau mais delicado. O tratamento durou seis anos e a cadela foi uma companheira a quem minha mãe chamava de 'sua enfermeira'. Todo dia a Belinha ficava sentada com ela e quando ia para fora de casa, a Belinha acompanhava. As duas 'conversavam' e brincavam", relembra o ambientalista Dionísio Neto, filho de Telma. 


Dionísio conta que Belinha acompanhou o velório por toda a noite como se estivesse velando sua mãe.


"A Belinha acompanhou o velório por toda noite. Em alguns momentos ficava em pé ao lado do caixão; em outros, deitava embaixo. A gente viu ali o amor incondicional que acredito ser um anjo. Agora, ela sempre acompanha as rezas em casa e todo dia senta na cadeira durante o terço", conta o ambientalista. 


Fotos: Dionísio Neto



Belinha acompanha os terços em memória de sua dona


Assim como família que chora pela perda de Telma, Belinha também sente saudades de sua dona. "Ela todo dia chora no quarto e vamos levá-la na visita de túmulo", reitera o filho. 


Fotos da família imortalizaram o amor de Belinha e Telma. Em muitas imagens, as duas aparecem sempre juntas. 


Fotos: Arquivo Pessoal



Fotos: Arquivo Pessoal



 


"E como um anjo ela passou a noite toda ao seu lado. Mamãe dizia que era a sua enfermeira. A Belinha... mostrou ser a companheira mais que fiel. Amor, vida, morte e ensinamentos", postou Dionísio Neto em sua rede social. Nos comentários, internautas enalteceram o gesto de amor da cadelinha por sua dona. 


 




Graciane Sousa/PortalCidadeVerde

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium