Sábado, 21 de abril de 2018
86 99956-1389
Piauí

31/01/2018 ás 20h32 - atualizada em 01/04/2018 ás 20h11

95

Redação

Luzilândia / PI

Piauí investiga dois supostos casos de febre amarela, diz Ministério da Saúde
De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pelo órgão, o estado do Piauí teve três casos notificados da doença em sete meses.
Piauí investiga dois supostos casos de febre amarela, diz Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde atualizou nesta terça-feira (30) as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação da febre amarela no país. De acordo com o Boletim Epidemiológico divulgado pelo ministério, estão sendo investigados dois casos de febre amarela no Piauí. No período entre 1º de julho de 2017 a 30 de janeiro de 2018, três casos da doença foram notificados no estado.


Destes, um foi descartado e outros dois estão sendo investigados pela Secretaria de Estado da Saúde. De acordo com os dados divulgados, o Piauí é o segundo estado com maior número de casos notificados da doença no Nordeste, ficando atrás apenas do estado da Bahia, onde foram registrados 15 casos de febre amarela. Com exceção de Alagoas, Paraíba e Sergipe, que não aparecem no levantamento, todos os demais estados da região tiveram apenas uma notificação da doença. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, é importante que a população dos 57 municípios que fazem divisa com a Bahia procure uma unidade de saúde para fazer a imunização.


Deve ser vacinada a população entre 9 meses e 57 anos de idade e para quem deva viajar para aqueles municípios piauienses e ainda para os Estados da Bahia, São Paulo e Minas Gerais. A Secretaria de Saúde disponibilizou 16 mil doses de vacina, que já se encontram nos municípios, e mais 16 mil estão em estoque. Macacos No último dia 22 de janeiro, a Sesapi descartou a relação entre as mortes de três macacos ocorridas no Piauí com a febre amarela.


Em nota, o órgão informou que a morte de um dos animais ocorreu por atropelamento por uma motocicleta, no município de Jatobá, ao norte da capital. Já nos outros dois casos, ocorridos no município de São Raimundo Nonato, a Sesapi esclarece que dados coletados pela equipe de Vigilância, e que estão em fase de conclusão, apontam preliminarmente que as mortes não têm relação com a febre amarela, como já reiterado pelo secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto. O Ministério da Saúde reiterou que a transmissão da doença não é feita pelos macacos, e sim transmitida por meio de vetor (mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes no ambiente silvestre).


(Com Odia)

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium