domingo, 27 de maio de 2018
86 99956-1389
Piauí

29/11/2017 ás 00h07 - atualizada em 28/03/2018 ás 15h55

157

Redação

Luzilândia / PI

Secretário aceita transferir ursa e polêmica deve chegar ao fim
Toda a polêmica judicial começou quando uma petição na internet com mais de 5.000 assinaturas pediu a transferência da ursa para o santuário Mata Ciliar em São Paulo. 
Secretário aceita transferir ursa e polêmica deve chegar ao fim

A novela envolvendo a transferência da Ursa Marsha está perto do seu capítulo final. O secretário do Meio Ambiente do Estado, Ziza Carvalho, sinalizou nesta terça-feira (28) para uma possível remoção do animal do Parque Zoobotânico de Teresina. A decisão chega mesmo o Estado conseguindo barrar a transferência na JustiçaToda a polêmica judicial começou quando uma petição na internet com mais de 5.000 assinaturas pediu a transferência da ursa para o santuário Mata Ciliar em São Paulo. 


Ziza disse ao Cidadeverde.com que o local escolhido pela Confederação Brasileira de Defesa Animal (CONFAOS Brasil), autora do pedido da transferência na Justiça Federal, não teria estrutura adequada e boas condições financeiras de receber Marsha. “Estamos analisando o Rancho dos Gnomos”, afirmou o secretário, que deve fazer uma visita ao local.


A Associação Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos (ASERG) é uma associação civil sem fins lucrativos, atuando desde 1991 em Cotia, São Paulo. O Rancho recebe animais apreendidos de tráfico, circos, vítimas de maus-tratos, dentre outras condições.


O secretário fez questão de frisar que a ursa não está sofrendo em Teresina, no entanto, concorda com a transferência para um lugar melhor ainda. “A Marsha está no Zoobotânico porque foi resgatada de longos anos de um tratamento cruel em um circo. Quando o IBAMA salvou esse animal o único zoológico que se dispôs a recebê-la foi o Zoobotânico de Teresina”, afirmou, saindo em defesa do zoológico da capital.


“Nessa época não apareceram ativistas e nem santuários para salvá-la. Ao contrário do que propagam, o Parque Zoobotânico de Teresina não caça animais na natureza para serem exibidos”, declarou.


O gestor disse que não é uma decisão só sua e que vai consultar o IBAMA, veterinários, e a própria gerência do Zoobotânico. “Vou visitar o santuário e ver as condições, bem como o custo de transporte”, afirmou.
 
A CONFAOS Brasil alega que o animal de origem canadense sofre com as altas temperaturas da capital, principalmente no período conhecido como B R O BRÓ, onde a sensação térmica passa de 40º entre os meses de setembro e dezembro. Com 26 anos, a ursa Marsha é da espécie parda e pesa 210 quilos. Ela mora em Teresina desde que foi resgatada de um circo em Manaus.


Carolina Mourão, presidente da Confaos, disse ao Cidadeverde.com que estranhou a mudança de ideia do secretário por conta de um vídeo postado nas redes sociais, e que vai aguardar o resultado de um recurso que ingressou na justiça contra a decisão que derrubou a transferência da Marsha.


"Nós vamos aguardar a decisão judicial em busca de uma jurisprudência que possa retirar outros animais em situação parecida com a Marsha, tudo dentro da legalidade e sem que haja interesse político na questão. Nós agradecemos o gesto neste momento, mas vamos aguardar a decisão da justiça.Não temos interesse politico no caso, já que ele declarou resistência no vídeo nas redes sociais", declarou.


Hérlon Moraes/CidadeVerde

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium